Falando em Dublagem: Análise de dublagem 3 – Cavaleiros do Zodíaco / Saint Seiya

Por Alex Magalhães
 

LEMBRETE IMPORTANTE: A análise não serve pra ofender a dublagem muito menos pra criticar o trabalho dos dubladores. É apenas um olhar no trabalho feito. Se você veio aqui achando que vou chamar a Úrsula Bezerra de um monte de coisa se enganou amigo.

Anime:  Cavaleiros do Zodíaco / Saint Seiya

Estúdio de Dublagem: Gota Mágica / Álamo / Dubrasil

Direção de Dublagem: Gilberto Baroli (Gota Mágica) / Wendell Bezerra e Wellington Lima  (Álamo) / Hermes Baroli (Dubrasil)

Reclama agora!

Aí está um anime em que falar de dublagem dá grande orgulho. Até mesmo entre os mais “issúpotaveis otakinhos revolts”, a dublagem de Cavaleiros do Zodíaco é considerada uma obra.

Seja pelo fato de ela estar na infância da grande maioria, por ser um anime clássico escolhido um dos 10 melhores da história ou por realmente ter uma dublagem digna de Oscar.

Cavaleiros do Zodíaco, teve duas versões dubladas no Brasil. Mas já passou por 3 estúdios.

A primeira dublagem, feita em 1994 no já falecido estúdio Gota Mágica, em São Paulo foi feita totalmente com base nas vozes em espanhol argentino (pois é…disso você não sabia, né?).  Mas dublagem em espanhol já era muito boa e com muita coisa parecida com o japonês. Para os dubladores brasileiros foi fácil pegar essa. Nessa época, os executivos da Bandai estavam de olho em tudo que era feito, as vezes ajudando (pedindo para traduzirem os golpes) outras vezes cometendo erros (transformando Jabu de Unicórnio em Capricórnio).

A dublagem possui uma grande maestria. Todas as vozes, desde os principais aos que apareciam apenas uma vez tinham vozes perfeitas e interpretações impecáveis.

Os cavaleiros de Bronze foram muito bem escolhidos pelo então diretor Gilberto Baroli (Saga de Gêmeos), que deu a primeira chance de dublar para o filho, Hermes no principal Seiya de Pégaso. Grande escolha.

Aliás, você sabia que quem iria dublar Seiya no começo era o Élcio Sodré, dublador do Shiryu? Mas o teste de Hermes ficou tão bom que o pessoal da Bandai deu o emprego ao menino  :)

Na Gota Mágica aconteceu a dublagem de toda a saga Guerra Galática e Santuário/12 casas. Além de quase todos os filmes e OVAS que foram lançados em VHS.

Depois de um tempo, a Toei Animation voltou a atuar com força no Brasil e a primeira coisa que fez foi investir em Cavaleiros do Zodíaco. O anime foi então mandado para a Álamo, já que o estúdio Gota Mágica não existia mais.

Aí apareceu um problema: Todo o elenco seria diferente da versão de 1994!!!

Grande tragédia, claro. Segundo boatos, quase toda a saga do Santuário já estava gravada como o elenco diferente, quando a infirmação vazou e os fãs começaram a reclamar e pedir o elenco diferente…depois de tanta insistência  a Toei cedeu e TODO o elenco da versão da Gota Mágica foi recolocado. Com exceção, claro, daqueles que já haviam falecido ou não trabalhavam mais na profissão e alguns casos especiais. Mas 75% do elenco original estava ali.

Obviamente, a dublagem continuou com sua maestria, corrigindo ainda alguns erros do passado e agora sendo dublada com base direta no idioma japonês. Tendo até as músicas do anime cantadas em português.

Todo o anime foi redublado desde o começo e deu-se continuidade, agora da Saga de Poseidon em diante, além do filme Prólogo do Céu.

Em agosto de 2007 foi anunciado o lançamento da Fase Inferno no Brasil, e sua dublagem foi palco de uma grande polêmica. E o anime passou para o estúdio Dubrasil (fundado por Hermes Baroli). Alguns dubladores não concordaram com o fato da série passar a ser dublada no novo estúdio a partir do Episódio Zero, alegando falta de ética e contenção de custos em detrimento da qualidade do trabalho. Deste modo, Marcelo Campos e Guilherme Briggs publicaram carta aberta aos fãs explicando sua posição de não participarem da dublagem nesse estúdio, e apesar dos esforços para que a participação ocorresse a situação foi incontornável. Marcelo Campos, apesar de ter participado da redublagem dos 4 filmes antigos não retornou aos papéis e foi substituído por Marco Aurélio no papel de Mu de Áries e Tiaggo Guimarães no papel do Jabu de Unicórnio; Guilherme Briggs entendeu as circunstâncias fazendo as pazes com o estúdio, mas continuou na sua posição de não participar da dublagem e foi substituído por Cesar Marchetti. Wellington Lima não manifestou sua opinião publicamente, mas o que consta é que ele achou a sua participação pequena demais e optou por não voltar a dublar o Dohko de Libra, sendo deste modo substituído por Sérgio Moreno. Já Luiz Antônio Lobue, com os mesmos problemas citados anteriormente, seria inicialmente substituído por Armando Tiraboschi no papel de Aiolia de Leão. Porém, este último também se recusou a dublar na última hora, sendo então como substituto definitivo escolhido Ricardo Vasconcelos. A direção de dublagem ficou a cargo de Hermes Baroli e Gilberto Baroli, que voltou a dirigir uma dublagem de CDZ após quase 12 anos.

Depois disso, a Dubrasil ficou como responsável oficial por todas as dublagens de CDZ no país. incluindo a série Lost Canvas, que contou com um lote de novos dubladores, formando dos cursos da Dubrasil.

Cavaleiros do Zodíaco: Omega também já foi confirmado pelo estúdio, mas ainda não se sabe quem dublará quem, nem quando irão começar os trabalhos.

Se você for falar com alguém do meio dos animes sobre dublagem, certamente esse lhe falará algo como:  “os animes de hoje em dia não são mais dublados que nem CDZ ou DBZ”.

Como dito lá no começo, quase todo mundo que hoje é otaku, começou assistindo CDZ na Manchete, e essas vozes lhe causam uma nostalgia imensa, associando sempre isso a ser bom.

Mas independente disso, a dublagem de Cavaleiros do Zodíaco, sempre foi muito boa. E se não fossem as escolhas lá em 1994, a coisa talvez fosse bem diferente hoje… então, agradeça!

Essa foi a nossa coluna do mês. Foi mais explicativa do que comentada…mas vale a pena relembrar sempre.  Na próxima, vamos ver o que está acontecendo com a turma de Ash! Abraço!

About these ads
Esse post foi publicado em Falando em Dublagem e marcado , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Falando em Dublagem: Análise de dublagem 3 – Cavaleiros do Zodíaco / Saint Seiya

  1. Latino disse:

    Que dá hora esse seu artigo! Adorei o making off tmb!!! Eu tmb quero ser dublador!!!!
    “MOoooooorra SEEEEYAAAAA!” kkkkk Grande Baroli!

  2. Só tem uma informação errada ali no começo…
    Quem dirigiu a dublagem de CDZ na Álamo não foram Wendell Bezerra e Wellington Lima, foi o Marcelo Campos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s